Sun Light - Capítulo 15: Revelações

- Nessie! O que esta fazendo saia da minha frente. – O corpo de Jacob tremia descontrolado enquanto ele jorrava suas palavras aos gritos, seu olhar fitando Morris raivosamente, eu tinha que intervir de alguma maneira.

- Jake deixe-me explicar. – Eu disse a ele inutilmente. Se eu não o impedisse Jacob mataria Morris e eu perderia o único lampejo de esperança de reencontrar meus pais, eu não poderia deixar isso acontecer.

Dei um passo à frente na direção de Jacob e torci para que ele controlasse a transformação ou para que Morris que estava paralisado ao lado da janela não fugisse, se ele se fosse eu não teria garantias de que ele pudesse voltar e então eu não teria garantias em reencontrar os meus pais.

Senti quando a mão de Jacob me lançou cuidadosamente em minha cama deixando o espaço que eu intervinha antes entre ele e Morris livre, era tudo que ele precisava e quando meu corpo pousou por completo na cama olhei para Jacob, mas já não era mais ele, pelo menos não em forma humana, era o lobo castanho avermelhado ao qual eu já conhecia, mas nunca antes havia visto tão enfurecido.

O lobo estava em posição de ataque, os dentes amostra, o rosnado alto, eu sabia que a qualquer momento Jacob atacaria Morris que por sua vez continuava paralisado ao lado da janela do meu quarto, talvez ele não esperasse ser pego de surpresa por um lobo.

O grande lobo puxou o ar a sua volta para dentro de seus pulmões e deu dois passos para trás, ele estava tomando impulso para o ataque, se eu não fizesse algo naquele momento, então seria tarde de mais.

Meio tonta procurando encontrar a melhor maneira de me levantar joguei meu corpo contra o chão ficando mais uma vez no caminho entre Morris e Jacob, a expressão em forma de duvida na cara de Jacob logo apareceu e ele não conseguia entender as razões de minha atitude, eu tinha duas boas razões para não permitir que Jacob atacasse Morris.

A primeira, meu pai.

A segunda minha mãe.

Não que houvesse uma ordem para essas razões, mas essas eram razões mais que suficientes para eu intervir a ira de Jake.

Jacob fitava-me intrigado com seus grandes olhos de lobo, ele soltou um rosnado em minha direção, mas eu sabia que não existiam ameaças para mim em seu rosnado, era mais algo do tipo: “O que pensa que esta fazendo Nessie?” Ou alguma coisa parecida com isso.

Levei um segundo para conseguir me colocar de pé, meu olhar dividido entre Morris e Jake, a quem eu deveria impedir primeiro, o lobo que queria atacar o vampiro ou o vampiro que queria fugir do lobo.

Respirei fundo e pensei comigo mesma: “Agora é hora de tomar uma atitude Renesme Cullen”. Pus-me de pé e segui calmamente em direção a Morris segurando sua mão, ouvi quando o lobo atrás de mim soltou um rosnado profundo pelo fato de eu tocar tão avidamente um estranho, mas o ignorei, talvez essa fosse a única maneira de ter a certeza de que Morris ainda estaria ali enquanto eu tentaria persuadir Jake, eu não tinha nem uma experiência em persuasão, mas era a única chance da qual eu poderia me agarrar.

- Fique calmo, não se mexa. – Eu disse a Morris de forma pausada e tranqüila. – Ele só esta tentando me proteger, não vai te fazer nenhum mal eu garanto.

Eu podia ver a duvida na expressão que Morris fez para mim, mas ele não fez nenhum tipo de objeção e assentiu que sim. Virei-me para Jacob que me olhava intrigado com minha atitude de defender um vampiro desconhecido dentro do meu quarto, mas o que mais eu poderia fazer? Morris poderia ser a minha única chance de rever os meus pais e eu não estava disposta a ver essa chance ser morta na minha frente.

- Jake, esta tudo bem. Ele não quer me fazer mal. – Jacob soltou um uivo ao som de minhas palavras como se estivesse reprovando aquilo que eu acabara de dizer.

- Não Jake, é sério. Morris esta aqui para ajudar a reencontrarmos meus pais, Bella e Edward, seus amigos lembra?

O som do nome dos meus pais ativou ainda mais a fúria de Jacob que mostrou a fileira de dentes em sua boca em direção a Morris, eu não estava sendo boa com o negocio de persuasão então decidi ser mais direta, ser apenas eu mesma.

- Jake, por favor, ouça o que estou te dizendo. – Minha voz agora era impaciente e nervosa. – Se você fizer qualquer coisa contra ele, se você o machucar Jake... – As lágrimas começaram a rolar de meus olhos e eu me esforçava mais agora para falar. – Se você o machucar, eu nunca mais verei meus pais, seja bonzinho Jake, por favor...

Se tinha algo que Jake não suportava ver era as minhas lagrimas rolarem, ele deu alguns passos em minha direção, seus olhos fixos nos meus, ele parou na minha frente e balançou a cabeça para cima e para baixo, era o sinal de que ele finalmente estava me ouvindo, ele bateu três vezes a sua pata esquerda no chão e saiu do quarto, aquilo significava que eu deveria esperá-lo voltar enquanto ele se transformava novamente, eu já conhecia esse código, Jake usava o sempre comigo para que eu não visse a sua transformação de lobo para humano.

Senti-me aliviada como se uma carga de mil kilos tivesse sido retirada das minhas costas, soltei de meus pulmões o ar que prendera até ali, só então prestei atenção que havia parado de respirar.

- Eu fiz a minha parte Sr Morris, ele não vai matá-lo. Agora faça a sua e me explique toda essa historia, onde meus pais estão? – Eu disse a Morris enquanto me virava em sua direção soltando sua mão da minha.

- Arus não me disse nada sobre lobisomens. – Ele ignorou a minha pergunta, ele estava intrigado com um lobisomem amigo na casa de um vampiro, ou melhor, na casa de nove vampiros.

- Arus? Arus Volturi? Estamos falando da mesma pessoa? – Eu me perguntava como Arus poderia estar envolvido, eu me lembrava de Arus em Forks, do dia em que meus pais me protegeram contra os Volturi, mas o que Arus tinha há ver com tudo aquilo?

Eu sabia que Jane fazia parte do clã dos Volturi, mas assim que vovô Carlisle soube da participação de Jane no desaparecimento de meus pais, ele mesmo pessoalmente falou com os Volturi e eles tiraram de si toda a responsabilidade pelos atos de Jane, disseram que aquilo era uma surpresa para eles e que os Volturi jamais participariam de tal ação se os Cullen nada tivessem feito que infringissem suas regras, então por que agora Morris falava de Arus? Como afinal ele poderia estar envolvido?

- Temos que sair daqui Srta Renesme, o tempo esta correndo.

Antes que eu pudesse responder Jake voltou ao quarto em sua forma humana, eu estava contente por te-lo comigo, eu não sabia no que confiar, mas eu sabia que em Jake eu sempre poderia confiar, ele sempre estaria ao meu lado mesmo que tivesse que aceitar a presença de um vampiro desconhecido, ele ainda sim estaria ao meu lado.

- Ok, agradeça a ela por ainda estar vivo, mas agora me diga como você pode ajudar em toda essa confusão e como raios Arus Volturi esta envolvido nisso tudo?

Jake entrou no quarto cuspindo suas palavras contra Morris que ainda estava parado ao lado da janela. Ele provavelmente havia ouvido parte da nossa conversa e com certeza pela sua pergunta ele estava tão ou mais intrigado do que eu.

- Ela não vai a lugar algum com você enquanto não explicar exatamente o que esta acontecendo.

- Eu não estou aqui para machucá-los. – Morris nos disse a nós dois, mas seus olhos estavam focalizados em mim.

- Não? – Jacob ergueu uma sombracelha desconfiado enquanto fazia a pergunta a Morris. – Então afinal quem é você? E por que falou que Arus não havia dito nada sobre lobisomens?

- Eu estou aqui por que Arus me pediu. – Morris respondeu calmamente.

- Como é que é? O que os Volturi estão planejando? - Jake falava exaltado, caminhando na direção de Morris. Tive que intervir antes que ele fizesse alguma coisa contra o vampiro parado em meu quarto.

- Jake deixe Morris nos explicar. – Eu pedi a ele carinhosamente me colocando a sua frente.

Jacob direcionou seu olhar a mim e assentiu procurando manter a calma o que não era fácil nem para ele nem para mim, mas ele ao menos estava se esforçando.

- Tudo bem Morris, agora fale de uma vez, o que você esta dizendo com tudo isso? – Jacob encostou ao lado da porta e eu me virei a Morris para questioná-lo, eu queria respostas e precisava te-las rápido.

- Ok Srta Renesme eu vou explicar a vocês. Ao contrário do que vocês possam estar pensando os Volturi não mentiram quando disseram que não tinha nada há ver com as atitudes da pequena Jane, eles realmente não sabiam de suas intenções até alguns meses atrás, na verdade nenhum deles exceto Arus sabia.

- Arus sabia? – Como Arus poderia ter mentindo a nós? Os Volturi teriam quebrados suas própria regras.

Morris parecia ter lido meus pensamentos quando respondeu.

- A principio não, ele descobriu casualmente quando em uma noite leu a mente de Jane, mas ele não queria contrariá-la, pelo menos não naquele momento, ela estava enfurecida, foi só então que Arus percebeu que desde que os Volturi vieram a Forks que Jane alimentava esse sentimento de vingança por vocês.

“Ele preferiu não contar a ninguém o que estava acontecendo e os planos que Jane esteve arquitetando silenciosamente pelos últimos anos, Arus sabia que de certa forma Caius e Marcus não se importariam verdadeiramente se ela aniquilasse toda a sua família, talvez eles até a ajudariam.”

Enquanto Morris falava, suas palavras me causavam náuseas, o mundo parecia girar em minha volta e por um momento achei que fosse desmaiar, puxei ar para os meus pulmões a fim de refrescar meu organismo e não permitir um desmaio, eu não poderia, não naquele momento, mas eu de me perguntava como alguém poderia odiar tanto pessoas como os meus pais a ponto de passar alguns anos de sua vida planejando qualquer mal que fosse contra eles. Mais uma vez Morris pareceu ler a minha mente respondendo a minha pergunta sem que eu precisasse questioná-lo em voz alta.

- Jane não se conforma com a escolha de seu pai Srta Renesme, ela não acredita que seja correto o fato de seu pai ter feito tudo o que já fez por uma humana, mesmo hoje esta humana ser uma de nossa espécie e você é simplesmente a gota d’água que faltava para transbordar o copo cheio de ódio de Jane.

- Eu? – Mas por que eu? Eu perguntava mais a mim mesma do que a Morris.

- Sim Renesme, você! Jane foi transformada ainda muito jovem é difícil para ela saber que existe uma família vampira completa, você é uma exceção, por mais mestiça que você seja sempre será a única a ter seus pais, ao menos à única que conhecemos.

O que afinal Morris estava falando? Jane me odiava por eu ter uma família? As lágrimas explodiram em meu rosto e Jake correu em minha direção para abraçar-me. Jane me odiava por eu ter uma família, por eu ter pais, os mesmos pais que agora ela roubara de mim. Então não era só ódio e vingança era mais a espetada do ciúme e a inveja tocando-a, algo com o qual eu não poderia lutar.

- Quando Arus percebeu a razão do ódio que ela alimentava ele preferiu não falar para ela que conhecia suas intenções, afim de não magoá-la mais.

“Foi por isso que Arus me mandou para vigiá-los, caso Jane se aproximasse. – Ele deu uma pausa como se estivesse tomando fôlego e voltou a falar. – Poucos me conhecem na grande casa dos Volturi, mesmo a Srta Jane pouco ouviu falar de mim, então Arus contou com a sorte de que ela pudesse não se lembrar que eu fazia parte da grande guarda dos Volturi, como um agente externo, por isso ele mandou me chamar e me contou o que estava acontecendo e então eu fui a Forks procurá-los, mas vocês já tinham vindo para Dartmouth e com um pouco de sorte consegui este emprego no campus em que seus pais estavam estudando e posso dizer que com muita sorte me tornei professor de sua mãe.”

“Inicialmente eu não achava que a Srta Jane fosse aparecer e pensei que me aproximando de seus pais seria mais fácil protegê-los e tudo ficou mais simples quando sua mãe me convidou para vir até a sua casa.”

- Então foi seu rastro que eu segui na outra noite? – Jacob perguntou a ele, enquanto ainda enxugava minhas lágrimas.

- Sim, foi o meu, mas eu não havia percebido que estava sendo seguido por um lobo, o que foi bom, se não, não estaríamos tendo esta conversa agora.

“Naquela noite eu vi Jane pela primeira vez em Dartmouth e tentei dete-la, mas ela estava acompanhada do outro mestiço e eles conseguiram fugir então eu pensei que eles pudessem ter vindo para ca mas me enganei, eles foram para o campus de Dartmouth e mataram um aluno o que chamou muito a atenção de todos e me preocupei que isso pudesse comprometer meu disfarce.”

“Então eu fui atrás deles e foi ai que descobri que ela o estava enganando, ela o estava pressionando pela segurança da família dele e pela sua Nessie.”

- Pela minha? – As palavras de Morris não estavam mais fazendo sentindo algum em minha cabeça. – Por que Nahuel estava tentando me proteger se ele estava ajudando Jane? – Senti como se o quarto girasse a minha volta e respirei fundo para que a tontura pudesse passar.

- Nessie, você não vê, ela o enganou. Nahuel acha que Jane quer fazer mal apenas aos seus pais e não a você, mas isso não é verdade, este garoto de alguma forma alimenta algum tipo de sentimento por você e não quer que ela a machuque, mas Jane esta mentindo para ele, ela matara a todos, a seus pais, a você e a ele quando tiver a chance, ela só precisa que ele a ajude agora.

“Eu tentei convencê-lo da verdade, e posso dizer que aquele garoto é um bom rapaz, ele não quer machucar a ninguém, nem a você, nem os seus pais, mas Jane o esta ameaçando e o forçou a lutar contra mim assim que os encontrei naquela noite, o rapaz é forte e ela esta usando a força dele como uma defesa a si mesma.”

- E por que Arus não disse nada a Carlisle o que estava acontecendo? Por que Jane ainda mantém meus pais vivos? O que afinal ela pretende? – As perguntas saiam descontroladamente de minha boca, como as larvas de um furacão em fúria. As lágrimas não obedientes caíram dos meus olhos escorrendo por minha face gotejando sobre o meu vestido.

Jacob me abraçou mais forte e eu agradeci por ele esta por perto enquanto eu ouvia tudo aquilo, sinceramente não sei dizer se suportaria a pressão de todas aquelas revelações sozinhas e era bom ter os braços de Jake me envolvendo.

- Srta Renesme, Arus não disse nada a Carlisle para que os outros não soubessem o que estava acontecendo, ele sabia que eu estava no encalço de Jane e de certa forma ele não poderia dizer a eles que já sábia do que Jane tramava e que havia colocado um de seus guardas para vigiá-la, contrariando protegê-la para proteger a vocês. De certa forma que não sei explicar o Sr Arus alimenta uma sincera consideração por sua família e ele não gostaria que nem mesmo Jane fizesse qualquer mal que fosse, eu não posso dizer se isso é bom ou ruim e quais são os verdadeiros interesses de Arus por vocês, mas neste momento o que posso dizer é que ele da maneira dele esta tentando protegê-los.

“Quanto ao fato de Jane manter os seus pais vivos, bom... – Ele fez uma pausa como tentasse esconder algo, mas logo desistiu. – Jane é extremamente teatral, se assim posso dizer e ela quer fazer isso direito, ela só os matara quando você estiver junto, bem... é que...”

Morris conteve suas palavras e eu sabia que algo pior ainda viria.

- Diga de uma vez por todas. – A voz de Jacob era áspera e impaciente para Morris.

- Bom, ela quer matar a Srta primeiro, suas intenções é que seus pais sofram vendo a sua morte, por isso ela ainda os mantém vivos.

“Desde que os outros dois vampiros chegaram aqui ela não consegue se aproximar o suficiente, mesmo ela tendo melhorado as suas habilidades, pois antes ela só conseguia focalizar sua habilidade em uma única pessoa, hoje ela já consegue aplicá-las em mais de uma, ela melhorou seu poder, mas ela ainda não consegue manter a ilusão por muito tempo se forem muitas pessoas como aconteceu com os outros de sua família na floresta na noite em que Jane levou seus pais.”

Senti como se meu coração tivesse parado de bater, o ar já não entrava em meus pulmões, puxei o cobertor que havia colocado sobre a minha cama e o abracei contra o meu peito, as lágrimas inundavam o tecido que eu apertava contra mim, eu estava em cacos.

- Srta Renesme você precisa sair daqui agora. – Morris quebrou o silencio do quarto tirando me do meu transe de dor.

- Para onde quer leva-la? – Jacob perguntou agora mais calmo.

- Rapaz, você ouviu tudo o que eu disse? Estando apenas ela você e eu aqui, não será difícil para Jane, ela esta aguardando um primeiro momento de fraqueza de vocês para tirá-la daqui, então precisamos fazer isso antes.

- Tudo bem, então iremos, mas iremos para onde eu disser.

- E para onde pretende levá-la.

- Sim, Jacob para onde. – Eu perguntei desconfiada limpando as lágrimas de meus olhos.

- Vamos para La Push, a alcatéia poderá nos ajudar e será muito melhor do que ficarmos aqui.

- Mas e os outros Jake? Carlisle, Esme e o os outros? Não possa sair daqui sem falar com nenhum deles. – Eu não queria abandonar minha família sabendo que o perigo estava tão próximo a eles.

- Nessie, fique calma, do jeito que você chorou Alice já deve ter visto algo. – Jacob sorria com a piada que acabara de fazer, ele estava apenas tentando me deixar mais calma. – De qualquer forma ligaremos para eles e avisaremos onde estamos.

- Então vamos? – Morris nos incentivou.

Eu assenti que sim e fui até o meu closet, peguei uma mochila qualquer e enfiei algumas das roupas que tia Alice havia comprado para mim, nem me preocupei em olhar o que estava colocando na mochila.

Jacob foi ao seu quarto e voltou em minutos também com uma mochila nas costas.

Não sabia o que me esperava dali por diante, não sabia qual seria o meu destino, o único destino que conhecia era uma pequena aldeia indígena próxima a Forks. La Push.

6 comentários:

Jaami disse...

OMG, TO QUASE CHORANDO AQUI Ç.Ç

Bells Weasley, Nessie Lautner e Lilly Black disse...

Vey a fick é muito perfeita!!! Mais a ortografia tá muito ruim, e a autora tá se perdendo em alguns detalhes!!!

Convidada disse...

Ótima ideia!

NessCullen disse...

No outro capítulo eu falei alguns erros, agora, um deles foi explicado, mas, não me leve isto a mal, deveria ter explicado isso no outro capítulo, para que as pessoas não pensem que é um erro.

O facto de Jane poder atingir uma ou mais pessoas, foi devida à evolução do seu dom/poder. Mas, eu também escrevo, e vou-te dar uma dica. "Lança a dúvida!". Podias não ter dito que o dom de Jane tinha evoluído, mas podias ter suposto. Ou seja, imaginemos, Bella, ao ver os outros 4 Cullens sofrendo tem um pensamento assim "Não percebo como Jane está conseguindo afetar mais do que uma pessoa, será que seu dom evoluiu?"... Assim, as pessoas iriam saber que, não é erro, mas sim, o dom evoluído. Não precisas dizer "O Dom de Jane evoluiu, ela agora consegue atingir mais que uma pessoa, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá, blá-blá-blá....." Basta "Lançares a dúvida". 
Foi apenas uma critica construtiva e uma dica. 

Deita também atenção ao facto do que, o nome do líder dos Volturi é Aro, e não Arus. 
De resto a tua fanfiction está super bem fundamentada, tem um texto bem estruturado e, é uma das melhores fanfictions que já li. 

Ah, e já agora, para ti, escritora, visita o meu blogue e diz-me o que achas dos meus texto também. 
E vocês, leitores, visitem também o meu blogue. 

Para acessar ao blogue, têm duas hipóteses, como eu não posso colocar o Link/Url no comentário, vão ao Google, e escrevam "Fics da Tia Ness" Vai aparecer logo. Ou então, no início desse comentário, tem lá a minha foto e do lado direito diz "NessCullen" e está a cor de laranja, isso é um Link/Url, clicam lá e acessam diretamente ao meu blogue.

Sem nada mais a dizer,
Despeço-me,
Beijocas,
NessCullen

Larissa Prates disse...

Ta ai NessCullen!! Jane se aperfeiçoou assim como Bella!

Isabelle disse...

Quase tendo um filho aqui rçrçrç

Postar um comentário

blog comments powered by Disqus
Blog Design by AeroAngel e Alice Volturi